quarta-feira, 26 de agosto de 2009

SUKSHUMA SHARIRA- A NATUREZA DA MENTE...


Eis a mente... Fonte eterna de estudo...
Sempre lembrando que em termos espirituais sempre o que é mais sutil é também mais importante. Irei citar a você algumas das principais categorias da mente:

CITTA - Citta é a consciência pura, é a energia e a inteligência do Universo consciente em sí mesmo.

BUDDHI - É a nossa mente mais elevada de sabedoria e discriminação, aquela que, pode ver além dos padrões limitados da mente inferior que é manas.

MANAS- É a mente do dia a dia, dos nossos padrões e sentimentos a eles relacionados. Manas é o território dos kleshas( obstruções da consciência), em especial de "Raga( apego) e Dvesha( aversão).

AHAMKARA- Você o conhece pelo nome de "ego" ou seja o conceito de eu que você possui.
O desequilíbrio do ego em manas ocasionam sofrimento apartir do seu relacionamento com os kleshas.

Bem, ao falarmos de "ego", naturalmente nos vem a ideia natural de que para conseguirmos a iluminação de "Buddhi", necessitaríamos suprimir ou matar esse ego.
Será?
Frequentemente ouvimos falar de mente confusa, repetitiva, desconexa etc...
A nossa mente , refletida no nosso córtex cerebral único vem desenvolvendo-se ao longo de quatro milhões de anos. Ela possui uma incrível capacidade sem paralelo de aprendizagem e pode processar trilhões de interações, pasmem... Instantâneamente.
Nosso cérebro longe de ser um obstáculo para o crescimento espiritual nos torna cada vez mais próximo a ele.
A mente humana não é outra coisa senão uma ponte entre o físico e a consciência.
" O ensinamento dos Koshas (invólucros) , é de que, somos seres multifacetados, e cada aspecto da natureza não deverá jamais ser suprimido, e sim, encarado, conscientizado, aceito e finalmente transformado.
Nossa mente e emoções são partes vitais de nossa evolução, pois guardam o nosso histórico de vida e conhecimento através de nossa existência, explorando-a, abrimos ainda uma outra porta para a fonte que as criou.
Podemos ver o ego do seguinte ponto de vista:
Como uma criançinha que necessita de educação, e que, como criança essa educação é feita primeiro através de estímulos, depois vem o visual, o tato, as primeiras letrinhas, o be-a-ba, e assim por diante do ponto de vista físico.
No emocional dispense ao ego o amor de filho, através do seu observador tente educa-lo como tal. Em meio a tempestade conforte-o, ao erro reprenda-o, a suas vitórias festeje, participe, em meio as derrotas não o martirize mas ensine-o a seguir em frente, para que assim possa ele crescer e se transformar no Eu superior, cujo o objetivo final é a indentificaçãocom sua "Fonte"(CITTA).

6 comentários:

  1. Hello Jane

    Om Shanti to you and your family and friends,

    Amazing blog love love it! I will follow!

    ResponderExcluir
  2. I am lunawrite and the pix is of myself and my husband ... Just wanted to let you know.

    ResponderExcluir
  3. Tem um selo “SOMOS TODOS IRMÃOS” no meu blog para você. Este selo representa o amor universal. Vamos participar desta corrente de amor, levando luz a todos os nossos irmãos.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Se observarmos o caso do menino lobo? Um indiano que foi criado com lobos?
    Aparentemente ele não desenvolveu traços humanos.

    O fato é que um bebê é um animal. Ele não tem mente – neste casso o que se tem, não é um EU ou EGO, mas um instinto.
    Por volta de 2 anos. A mente de uma criança vai se desenvolvendo fisiologicamente, e seus sentidos se abre não para dentro, mas para fora - o tornando um receptor – neste estagio começa o fenômeno cumulativo que eu chamo EGO.

    O EGO, eu entendo que é um subproduto do viver com os outros. Se uma criança vive totalmente sozinha, ela nunca chegará a desenvolver um EGO. Mas isso não vai ajudar. Ela permanecerá como um animal. Isso não significa que ela virá a conhecer o seu verdadeiro EU, não. O verdadeiro EU só somente pode ser conhecido através da que tudo criou O criador. Portanto, eu compreendo que o EU neste processo nada, mas é, do que uma esquizofrenia do próprio EGO.

    ResponderExcluir
  6. Sobre o titulo na minha visão...
    A natureza da mente provem de um estado de coma humano...
    Estamos em coma desde que nascemos...
    Tentamos desesperadamente nos libertar e não conseguimos...
    o homem em seu estado natural usa 100% da inteligência original, mas hoje depois de um grande metamorfose retardatária, usamos apenas 5% de nossa real inteligência, sendo que foi apenas existiu um homem capaz de usar 15% de nossa inteligência original, e este homem foi Albert Aistein.

    A luta desesperada pela nossa real sanidade mental vai acabar quando chegar o dia em que poderemos nos enxergar originalmente, com nossos verdadeiro nossos e faces.

    Muito bom sua postagem, muito bom!

    ResponderExcluir